Em 4 de fevereiro de 2004 o Facebook foi criado, atingindo em 2012 a marca de 1 bilhão de usuários. Sem dúvida esse sucesso não foi coincidência, mas sim resultado das estratégias adotadas no desenvolvimento da plataforma, que fazem com que as pessoas queiram se envolver com a rede social e contribuir para a geração de novos conteúdos. Como isso é atingido? Deixando os usuários felizes cada vez que se conectam. Sim, mas essa felicidade traz vendas para o seu negócio?

Em um vídeo datado de 9 de novembro de 2017 Sean Parker, co-fundador do Napster e ex-presidente do Facebook, explicou a estratégia adotada por estas empresas no método que ele nomeou de “exploração de vulnerabilidade da psicologia humana”. Esta terminologia é comumente usada quando tratamos de segurança em sistemas de informação. Quando um hacker efetua um ataque contra um servidor, ele explora uma vulnerabilidade para ganhar acesso e fazer com que a máquina passe a seguir seus comandos. Sean Parker é um hacker conhecido, tendo sido inclusive sentenciado aos 16 anos por invasão de computadores.

A visão que ele expõe em sua entrevista é muito interessante:

“Como podemos consumir o máximo do seu tempo e atenção?

Isso significa que precisamos lhe dar uma pequena dose de dopamina de tempos em tempos, porque alguém gostou de sua foto ou comentou em uma foto sua.

Isso vai fazer com que você contribua com mais conteúdo para ganhar mais curtidas e comentários.

É um loop de feedback de validação social.”

Tirando as questões éticas que esta colocação pode gerar, a ideia é brilhante. E por muitos anos as redes sociais se tornaram canais de vendas fantásticos pois todos participam e interagem nesta plataforma.

Sendo uma empresa de Marketing Digital e acompanhando as diversas ferramentas que auxiliam no processo de vendas, incluindo captações web e do “mundo real”, nós passamos a observar um efeito do excesso desta exploração de vulnerabilidade. Vendas online originadas destas plataformas ocorrem sim. Temos inúmeros cases de sucesso que comprovam isso. No entanto, o que mais observamos é que as pessoas estão demonstrando cada vez menos engajamento, o que diminui a probabilidade de vendas. Existem muitas curtidas, envolvimentos, comentários, mas há uma redução no que realmente interessa para as empresas: vendas.

Quando comparadas a outros canais de vendas, como o Google AdWords, as redes sociais estão perdendo espaço. E tudo se resume ao momento em que apresentamos o produto ao cliente. Ao fazer um anúncio ou postagem nas redes sociais, estamos mostrando o produto à pessoas que naquele momento buscam sua dose de dopamina diária. Já ao apresentar o produto no resultado de uma pesquisa, encontramos o cliente em um estado ativo de busca de uma solução, de informação e claro, de produto. Mesmo tendo um custo por clique mais elevado, o que observamos é que no Google, na hora da busca, os resultados em vendas são muito maiores.

É importante ressaltar que aqui tratamos do objetivo de vendas, pois quando utilizamos estratégias de marketing existem diversos objetivos em questão. As redes sociais continuam sendo um excelente canal para reforço de marca e para gestão de comunidades, mas é preciso avaliar com cautela sua efetividade para vendas.

Se você tem interesse em utilizar ferramentas de marketing digital com uma empresa que tem foco em resultados, vem falar com a Impac.to. Iremos elaborar a melhor estratégia para sua empresa.


Nome*:

Sobrenome*:

E-mail*:

Telefone*:

Empresa:

Assunto:

Mensagem: